17 de dez de 2014

Tesouro

Há alguns dias estávamos em obras e era preciso cavar na terra, ao nos assistir fazendo esse trabalho, não sei se pelo nosso entusiasmo ou simplesmente por sua imaginação, o filho de um amigo, com seus quatro anos de idade indagou se estávamos "procurando um tesouro". No momento só achei engraçado, mas depois comecei a pensar seriamente sobre isso e aqui estou eu escrevendo a respeito disso.

Estamos procurando tesouros?


Tenho um cliente que sempre me traz volantes para se fazer apostas nas loterias federais e sempre comenta sobre os ganhadores e acúmulos da semana, mas em suas palavras há um tom de desânimo quanto a possibilidade de encontrar esse tão sonhado tesouro, em parte pela desconfiança é claro.

A possibilidade de encontrar algum tesouro me parece mínima ou melhor dizendo praticamente inexistente seja ela através de um baú de pirata ou em um sorteio da Mega-Sena. Talvez por isso outras pessoas não pensam em encontrar tesouros, mas sim e acumular riquezas. Produzir seu próprio tesouro parece uma ideia muito mais plausível. 

Sei de pessoas que possuem inúmeros imóveis e estabilidade financeira, mas mesmo assim ao precisar ir ao mercado tomam um ônibus e se engalfinham com os demais passageiros sem quase aguentar as sacolas lutando por um acento. Tudo bem, esse pode ser um caso atípico, uma exceção, mas e quanto aos que pechincham para comprar qualquer coisa? Certo dia ouvi de um amigo: "ninguém pensa no vendedor" e achei muito engraçado, mas analisando com seriedade, novamente uma postura de acúmulo.

Ao falar sobre acúmulo logo lembro-me dos acumuladores compulsivos, que nada tem a ver com a nossa análise, pois sofrem com um distúrbio que os impede de julgar se o quê estão acumulando é realmente um bem necessário ou mesmo algo prejudicial, acumulando realmente qualquer coisa e até mesmo lixo. Estamos falando de acúmulo de riquezas. 

Você não acumula lixo, não é mesmo? Eu também não.

O materialismo seria a explicação para esses tipos de comportamento, assim como a falta de confiança em Deus, mas o conceito bíblico é de que estaríamos endeusando a riqueza e  o nome dado ao deus riqueza na bíblia é mamom.

Jesus deixou bem claro que não é possível servir a Deus e também a mamom:

“Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam. Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração”; 

(Mateus 6:19)

“Nenhum servo pode servir dois senhores; porque, ou há de odiar um e amar o outro, ou se há de chegar a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom.” 

(Lucas 16:13)

Não podemos viver constantemente tentando fugir de nossas responsabilidades e sonhando com a riqueza que nos tornaria independentes dos nossos trabalhos e demais compromissos. É preciso se alegrar com o que se tem e é claro continuar zelando pelo patrimônio, mas não amando mais o que temos do que o próprio Deus, pois esse é nosso grande mandamento, assim como não podemos amar mais as coisas do que as pessoas, nosso segundo mandamento.

Então aproveite muito bem o seu tempo e curta sua família, seus parentes e seus amigos, mas em especial dedique-se ao Autor da Vida, porque eles são nosso tesouro. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário